RESERVAS

Pelo fone: (51) 3029-8158

- Tolerância de 15 minutos a partir do horário de sua reserva.

- Para sexta e sábados só serão aceitas reservas até as 20:30.  

- As reservas devem ser efetuadas até as 11:00 do mesmo dia para o almoço e 17:00 para a noite. 

VAGAS

CONTATO

QUER FAZER PARTE?

ENVIE SEU CURRÍCULO!

administrativo@izakayadanjou.com.br

ver
blog
  • Mauricio Travi

Taiko: conheça os tambores japoneses


O taiko é uma arte milenar que surgiu há mais de 2000 anos (Era Joumon e Yagoi). Registros do século V já apontam para sua existência, quando foram encontrados bonecos com desenhos de tambores em seu ventre. Além disso, pinturas do início do século XII retratam o chodaikô, do tipo gongo, e o tandôdaiko, com o corpo mais achatado.

Normalmente envolvida com pele de animal, o taiko é uma percussão, tocada com a mão ou com o uso de uma baqueta. A vibração do seu som transmite sensação de dinamismo a quem pratica e a quem ouve.

Sua prática tem diversos significados: para os xíntoistas e budistas, é utilizado em cerimônias religiosas e espirituais, como um instrumento de comunicação com a alma e com os deuses. Já no Japão Feudal, o tambor era utilizado em práticas militares: para motivar as tropas na guerra, ajudar a marcar o passo na marcha e anunciar comandos e anúncios marciais. Quando surgiu, há 2000 anos, também servia como meio de comunicação entre pessoas que estavam em lugares diferentes.

É tocado em grupos e consiste em uma prática coletiva. Os praticantes devem ter uma conduta disciplinar, social e moral, de forma a apoiar os demais companheiros de taiko.

Lema do Taiko para percussionistas:

– desenvolver um corpo vigoroso, sadio, a coragem, a determinação e o espírito inabalável; – implantar o sentimento que preza o respeito ao próximo e a filosofia de humildade e eficácia; – adquirir o respeito aos mais velhos, cooperação mútua, amizade, responsabilidade, união e cultivar o caráter e a dignidade; – aprender a arte milenar japonesa do Taiko e herdar o valor deste folclore, cultivá-lo, preservá-lo e propagá-lo.

Gostou? Assista o vídeo e conheça um pouco mais desta arte milenar:

Fontes: Kyokushinkaikan, Cultura Japonesa


79 visualizações